Review: Jads & Jadson – “Diamante Bruto”
29/01/2016

Após dois DVDs consecutivos, Jads & Jadson voltam a lançar um disco de estúdio. O último havia sido o álbum “Pra acabar com tudo”, em 2011 – projeto que trouxe a canção “Eucalipto”, faixa importantíssima no processo de “upgrade” que a dupla deu nos últimos cinco anos.

Atualmente Jads & Jadson vivem o melhor momento de toda a longa carreira. De 2013 pra cá, emplacaram ao menos uma canção nos “Top 5” de cada ano. Fora o fato de eles terem aberto as portas pra toda essa galera de voz grave, que surge em maior quantidade dia após dia. A verdade é que se hoje o sertanejo considerado “bruto” tem seu enorme espaço nas casas de shows e programas de TV aberta, cá estão os responsáveis.

Mas, para não alongar muito essa nossa conversa (eu poderia ficar dias contando histórias dessa dupla incrível…), vamos ao que interessa: “Diamante Bruto”, o novo CD dos “ladinos”.

Este novo projeto é o álbum mais “pop” de toda a carreira de Jads & Jadson. Mas, ainda assim continua trazendo canções com letras “brutas” e, principalmente, “sofridas”. É o único disco da carreira da dupla que não conta com ao menos um pagode de viola. Por outro lado, nos presenteia com a incrível “Zé Trovão”, arranjada na viola, e de letra apaixonada. Forte candidata a ser trabalhada. E, em minha opinião, a melhor faixa do disco. Aliás, uma das mais bacanas lançadas nos últimos tempos.

Pelo pouco que ouvi de “Diamante Bruto”, lembrei-me de canções antigas de Jads & Jadson, como “Anjo”, “Olhos Castanhos”, e “Casa Caída”, que são altamente românticas; Em “Diamante Bruto” este lado das letras apaixonadas fortes é muito bem explorado, principalmente em “No seu mundo” (com participação de Jorge & Mateus), “Explícita”, “Caminhos opostos” e “Olhos rasos d’água”.

Os pagodões de viola foram substituídos por vaneiras inéditas. Comercialmente falando, uma grande jogada. As canções “Mel e Limão” e “Tô com pressa de amar”, por exemplo, mostram enorme potencial. Além, é claro, da “Noite Fracassada”, que também integra o repertório.

A linguagem mais raiz do projeto está presente (além de “Zé Trovão”…) em “Bruto e Capiau”, canção que brinca com a história de um casal formado por um homem do campo (o Capiau) com uma moça da cidade. Canção animada, e de letra bem humorada.

Outro ponto destaque foi à dupla seguir com a tradição de regravar uma faixa do pop/rock. Desta vez Jads & Jadson escolheram cantar a canção “Lágrimas e Chuva”, grande sucesso do Kid Abelha. Vale lembrar que eles fazem isso desde 2008, quando gravaram “Apenas mais uma de amor”, do Lulu Santos. Em seguida vieram com “Na sua estante” (CD “Tarde Demais” – 2010) e “Me Adora” (CD “Pra acabar com tudo” – 2011), ambas as da Pitty, e as mais recentes “Planos Impossíveis” (da Manu Gavassi, gravada no DVD de Maringá, lançado em 2013.) e “Razões e Emoções” (da banda Nx Zero, lançada em 2014 no DVD “É Divino”).

Em resumo, um disco de alta qualidade. O Flávio Guedes e o Jadson, que novamente dividem a produção musical, apostaram em algo um pouco diferente – até mais “moderno”, por se tratar de uma dupla originalmente de violeiros –, mas tudo indica que mais uma vez irão colher bons frutos.

Abaixo, ouçam na íntegra. Também está disponível a playlist do CD, com os nomes das canções e de seus devidos compositores.

Lista de músicas – CD Diamante Bruto – Jads e Jadson

01 – Diamante Bruto (Diego de Souza / Juliano Freitas / Lucas Freitas)

02 – Explícita (Flávinho Tinto / Nando Marx / Douglas Mello)

03 – Mel e Limão (Nuto Artioli)

04 – No seu mundo part. Jorge & Mateus (Victor Hugo)

05 – Se toca essa moda (Flávinho Tinto/ Nando Marx / Douglas Mello)

06 – Calma pra quê (André Vox / Helton Junior / Renne Lunna)

07 – Tô com pressa de amar (Diego de Souza / Juliano Freitas)

08 – Caminhos Opostos (André Vox / Diego Ferreira / Everton Matos / Renne Lunna)

09 – Zé Trovão (Éverton Matos / Ray Antonio / Gusttavo Martins / Dayane Camargo/  Victor Gabriel/ Sando Neto / Lara Menezes / Henrique Batista)

10 – Noite Fracassada (Celi Junior / Felipe Araújo / Gregory Castro / Gabriel Agra)

11 – Lágrimas e Chuva (Leoni/ George Israel / Bruno Fortunato)

12 – Inevitavelmente (Flávinho Tinto/ Nando Marx / Douglas Mello / Ninho)

13 – Bruto e Capiau (Emílio Lucio)

14 – Olhos rasos d’água (Jads / Ninho / Luciano Lins)

15 – Batimentos (Marcia Araújo / Paula Mattos)