Compositores & Composições #8 – Diego de Souza e Juliano Freitas
17/03/2016

Fiquei alguns meses com o quadro “Compositores & Composições” inativo. As correrias do dia-a-dia prejudicaram um pouco o desenvolvimento dos textos sobre os poetas da música sertaneja. É que, geralmente, são posts mais extensos, e requerem um cuidado ainda maior, além de exigirem um contato direto com o compositor – que, às vezes, por conta dos trabalhos, demora à responder perguntas fundamentais para a conclusão de um texto como este.

Mas, enfim, a partir de agora, o quadro voltará a ser atualizado semanalmente vou tentar atualizar o quadro semanalmente, com muitas novidades sobre essa rapaziada nova que anda “comendo” a caneta e o papel.

Relembrando: nos dois últimos anos, escrevi sobre a carreira de Bruno Caliman, Samuel Deolli, Marília Mendonça (ainda na época que não fazia shows), Juliano Tchula, Matheus Aleixo, Zé André (o Sassinhora Jr), e meu grande amigo Maurício Mello.

Neste período que fiquei parado, muita coisa mudou. Vários novos nomes destacaram-se no mercado, e eu prometo trazer a vocês, caros leitores, o máximo de curiosidades possíveis.

E pra recomeçar, não vou falar de apenas um, mas de dois compositores do Paraná (precisamente de Londrina): Diego de Souza e Juliano Freitas.

Eles são primos e parceiros de composições há muito tempo. Fora isso, Diego é arranjador e produtor musical. E o Juliano já foi cantor, há anos, no projeto Diego Ruzi & Juliano – a galera do interior do Paraná deve lembrar (eles tinham uma música chamada “Rainha da Ousadia”, que eu ainda torço muito pra que alguém um dia regrave, hehe).

Apesar estarem há tempos buscando o sucesso (são quase 10 anos de parceria), ele só chegou há pouco tempo. A história deles é bem bacana, e eu vou resumir um pouquinho do que aconteceu.

O primeiro “sucesso” da dupla – na verdade, do Diego – foi “Doideira”, com Breno & Caio César. Isso em 2010, quando os gêmeos eram apenas uma dupla do sertanejo teen. No mesmo período, Diego escreveu “Gordinho Largadão”, canção hilária que também rodou bastante. Mas, infelizmente (ou felizmente), foram somente essas canções que se destacaram na época. A dupla ainda fez diversas outras obras, mas nada decolou. Chegaram a desanimar, e ficaram sem compor durante um longo tempo… Até que, numa brincadeira entre amigos (por volta de três anos atrás), eles voltaram a compor e fizeram em questão de poucos minutos a faixa “Um lugarzinho na sua cama” (gravada e trabalhada posteriormente por João Bosco & Vinícius).

Foi aí que a carreira dos compositores mudou completamente de rumo. João Bosco & Vinícius abriram as portas para Diego de Souza e Juliano Freitas mostrarem seu dom para o Brasil. Depois de “Um lugarzinho na sua cama”, e com a amizade feita com João Bosco & Vinícius, que acabaram apadrinhando a dupla de compositores, Diego e Juliano só despontaram com canções cada vez mais incríveis. Só pelos padrinhos dos compositores, foram gravadas mais outras diversas faixas, como “É bom demais te amar” e “Meu nome é paixão” (uma das mais bacanas já gravadas por JB&V), ambas do CD “Indescritível”, e o single “Ponto Fraco”, lançada recentemente.

Com outros artistas do primeiro escalão, Jorge & Mateus e Gusttavo Lima são dois exemplos que gravaram canções de Diego e Juliano. Henrique & Juliano e Jads & Jadson também são. E não para por aí. Os ditos “medalhões” do sertanejo, como por exemplo, Teodoro & Sampaio, também cantou canções de Diego e Juliano. A próxima grande novidade é uma faixa com os ícones Durval & Davi, que preparam novo álbum, e estão praticamente fechados para a gravação de uma música dos jovens compositores.

Entre as faixas da dupla que mais se destacaram, estão “Como não me apaixonar” e “Não tem comparação”, ambas com Jorge & Mateus, “Diamante Bruto” e “Tô com pressa de amar”, com Jads & Jadson, “Nossa preferida serteneja” com Gusttavo Lima, e “O amor sorrindo pra gente”, da Janaynna ao lado do Cristiano Araújo – belíssima, e ainda é uma das últimas canções que o Cristiano colocou voz. Além das faixas com João Bosco & Vinícius.

Com as duplas de “médio porte” (no quesito sucesso, obviamente), Israel & Rodolffo cantaram “Como uma folha ao vento” e “Um zero a esquerda”, Kleo Dibah & Rafael em “A história de um livro”, Matheus & Kauan aparecem em “É Hoje”, e Conrado & Aleksandro em “Vou levar pros finais” e “Se beber, desligue o celular”.

A dupla já adiantou que muitas outras novidades estão por vir. Músicas com Zé Neto & Cristiano, Maiara & Maraísa, César Menotti & Fabiano, Zé Felipe, outra com Gusttavo Lima, e com mais uma “porrada” de artistas nacionais. Vamos ficar de olho neles.

Em resumo: jovens poetas. Assim que novas canções da dupla forem gravadas, vou postando por aqui. Ah, e até a próxima semana, com mais um post da série “Compositores & Composições”.

Abaixo, além de uma playlist com as melhores composições de Diego de Souza e Juliano Freitas, segue também uma lista com as grandes canções que eles fizeram juntos.

 

Lista de músicas

A Gota D’agua (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Amor do Modo Antigo (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Juarez Dias/ Victor Henrique)

Como não me apaixonar (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Lucas Freitas)

Como uma folha no vento (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Orlando Mota)

Compensa me amar (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Diamante Bruto (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Lucas Freitas)

Doideira (Diego de Souza)

É bom demais te amar (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Euler Coelho)

É Hoje (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Orlando Mota)

Gasto e nem ligo (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Gordinho Largadão (Diego de Souza)

História de um livro (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Lucas Freitas/ Euler Coelho)

Meu nome é paixão (Diego de Souza/ Euler Coelho)

Não tem comparação (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Nóis qué os cantor (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Pascoal Marques)

Nossa preferida sertaneja (Diego de Souza/ Euler Coelho)

O amor sorrindo pra gente (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Lucas Freitas)

O presente e o futuro (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Orlando Mota)

Ponto Fraco (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Se beber, desligue o celular (Diego de Souza/ Raphael Soares)

Tô com pressa de amar (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Tô ficando sem dó (Diego de Souza/ Juliano Freitas/ Pascoal Marques)

Um lugarzinho na sua cama (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Um zero a esquerda (Diego de Souza/ Juliano Freitas)

Vou levar pros finais (Diego de Souza/ Juliano Freitas)